série de 3 lições gratuitas – criando produtos digitais lucrativos

LIÇÃO 1 DA SÉRIE DE 3 LIÇÕES

“O que eu descobri em 4 anos a frente de um negócio digital lucrativo, que pode te ajudar a criar e gerar lucro com seu primeiro produto digital em menos de 21 dias…”

A Única Coisa Que Você Precisa Colocar Sua Atenção Para Criar Produtos Digitais que Vendem De Verdade!

De: Chico Montenegro
São Paulo – SP

Uma semana de merda que mudou toda minha vida, para melhor.

Segunda-feira – 8h15: eu estava no escritório da agência de marketing onde era sócio. Enquanto pegava um café, um dos meus sócios veio me avisar que naquele mês meu “salário” iria ser de R$ 1.500,00.

Era frustrante receber aquela notícia. Eu havia casado naquele ano e o nosso aluguel era de R$ 1.200,00 por mês.

Já era o terceiro mês recebendo aquele valor. A empresa não estava indo nada bem. Naquele mesmo dia perdemos nosso maior cliente. Isso aconteceu em 2014.

Na época eu tinha um blog sobre redes sociais e conheci diversos empreendedores digitais e o mercado do Marketing Digital estava bombando. Muitos lançando produtos digitais e faturando alto.

Terça-feira – 7h15: sentado na mesa da cozinha tomando um café eu disse para Tati (minha esposa): Já sei como resolver nosso problema de grana, vou criar um produto digital. Ela olhou pra mim e disse: Mas você nunca fez isso. Como vai conseguir ter alunos e ainda cuidar da agência?

Refletindo sobre aquilo eu disse: você tem razão, eu nem sei como criar um curso. Enquanto tomava mais um gole de café.

Mas eu precisava dar um jeito naquela situação. Naquela tarde encontrei um amigo e também dono de agência e comentei sobre minha ideia. Ele me disse: “Chico, você viu que tem caras faturando R$ 100 mil por semana com cursos pela internet?”.

R$ 100 Mil Reais. Wowww!

Foi ali, durante aquela rápida conversa que minha mente deu um “boooommm”

É isso mesmo que eu tenho que fazer!

Eu não queria fazer tanto dinheiro naquele momento. Precisava apenas pagar minhas contas. Eu queria sair do sufoco financeiro. Mais R$ 3 mil reais na minha conta aquele mês seria maravilhoso.

Chegando em casa eu estava empolgado. Falei para a Tati: Eu decidi, vou criar um produto digital. Ela me olhou e disse: Mas você tem certeza que consegue? Não vai se complicar?

Mas eu tinha um plano: preciso apenas de 10 clientes pagando R$ 300,00. Isso já me daria um lucro de R$ 3 Mil reais naquele mês.

Ela disse: hummm, mais fácil de fazer.

Foi assim que tudo começou: criei um produto de R$ 300,00 e vendi para 14 pessoas. Vendi R$ 4.200,00 naquela mesma semana.

Cuidado com a Maçã Não Mordida, você pode se lascar tentando inovar no começo…

Preste muita atenção no que eu vou te dizer: as pessoas se deslumbram com a ilusão do marketing digital, dos R$ 100 Mil em Uma Semana e ficam perdendo dias e mais dias pensando sobre “Como construir um produto inovador, único e milionário?”

Não perca seu tempo com isso. É algo totalmente diferente. O que você deve perguntar é… “Qual problema existe e que as pessoas compram produtos para resolver e como EU POSSO CRIAR ALGO COMPLEMENTAR?”

Naquela época eu já conhecia uma teoria simples, mas bem poderosa, que explica tudo que você vai aprender nesta lição: cuidado com a maçã não mordida!

Vejo todos os dias diversos novos empreendedores literalmente perdendo tempo tentando “inventar a roda”, tentando criar produtos e serviços inovadores e que ninguém nunca fez. A frase mais dita por estes empreendedores é… “Estou criando algo novo, algo que ninguém nunca fez e vai mudar o mercado…”

Mas o que uma maçã não mordida tem a ver com isso? Simples. Em mercados onde existem “oportunidades” que ninguém nunca explorou. Não existem concorrentes e nem produtos, tem algo errado ali…

O Uber não é inovador. Eles pegaram algo que já existia há muito tempo, os táxis. Apenas criaram uma versão diferente, melhorada e se você olhar bem de perto é algo complementar que ninguém estava fazendo.

O Facebook não é inovador. Redes sociais sempre existiram. Mesmo antes do falecido Orkut, os Fóruns de Internet já estavam bombando. O Facebook apenas criou uma maneira diferente, complementar.

O Instagram não é inovador. Antes do Instagram as pessoas já publicavam suas fotos nas redes sociais e outras redes de fotos já existiam, como o Pinterest e o Flickr. Eles apenas criaram uma forma mais intuitiva, algo complementar.

Eu poderia ficar citando várias empresas aqui que são milionárias e não criaram nada novo, mas você já entendeu.

O primeiro ponto que você precisa entender na construção de produtos digitais é que eles são soluções rápidas e acessíveis para problemas específicos do mercado. E o mercado são pessoas. Então a pergunta certa é…

“O que as pessoas estão buscando AGORA, que você pode criar e vender?”

Quarta-feira – 5h30 da manhã: depois de ter decidido que eu iria criar um produto digital para salvar o mês e nossa vida financeira. Acordei cedo e comecei a fuçar em grupos de Facebook para encontrar o que as pessoas estavam buscando.

Naquela época eu fazia parte de uns 100 grupos sobre mídias sociais e um deles me chamou atenção. Era um grupo sobre empregos para quem deseja trabalhar em agências de marketing. 

O problema que eu mais vi naquele grupo eram pessoas dizendo: “As agências hoje estão buscando quem sabe sobre mídias sociais…”

Foi ali que eu encontrei meu primeiro produto digital. Como era um dos sócios de uma agência de marketing e dono de um blog sobre redes sociais, eu sabia exatamente quais eram os requisitos necessários para que uma pessoa fosse contratada.

Naquela mesma manhã eu “desenhei” como seria aquele curso e até decidi o nome: Social Media na Prática. Pronto. A ideia está feita, agora era vender aquele produto e eu já sabia como fazer aqui…

Se tem concorrentes é porque tem dinheiro pra ganhar. Ame mercados Saturados…

Naquele mesmo dia, quarta-feira, cheguei na agência e comentei com um dos meus sócios que eu iria criar um produto digital para ajudar pessoas que estavam tentando trabalhar com mídias sociais. 

Ele me olhou e disse: “Cara, já existem vários cursos ensinando mídias sociais…”

Ele tinha razão. Mas o que ele não sabia era o que eu realmente iria oferecer.

Naquela manhã eu publiquei em 10 grupos do Facebook onde o tema era “Redes Sociais e Marketing” a seguinte mensagem…

“Oi pessoal. Vejo que muitos aqui tem grandes dificuldades em trabalhar em agências digitais. Amanhã às 19h farei um Hangout (live) mostrando 10 passos para entender as mídias sociais e conseguir seu primeiro emprego em uma agência… Aqui está o link…”

Simples, rápido e objetivo. Sem gatilhos mentais e sem saber nada sobre copy ou mensagem de vendas.

Naquele mesmo dia, no fim da tarde eu tinha 174 pessoas inscritas para participar da live que eu iria fazer, de graça no Youtube usando o Hangout. Eu não sei se você percebeu, mas eu usei naquele texto algo que acabei de lhe ensinar: eu criei algo complementar.

Todos os outros cursos ensinavam mídias sociais. Eu iria ajudar a entender as mídias sociais e ficar preparado para conseguir o primeiro emprego em uma agência. Percebe que eu me foquei no problema que aquelas pessoas estavam passando?

Aqui está o segredo…

Você não precisa brigar com os concorrentes do seu mercado. Apenas crie produtos nas “brechas” que eles deixam em aberto. Faça com que eles criem clientes para você. Crie produtos complementares, produtos para soluções específicas ou algo que seja mais avançado.

Eu levei um bom tempo para entender como eu havia feito aquilo, meio sem saber essas teorias e estratégias. Em 2015 eu fiz a mesma coisa, mas com um curso sobre Blogs que custava 997,00 e em uma semana fiz R$ 35.000,00 em vendas.

Mas depois que entendi este conceito, sai de apenas 2 produtos em 2015 para mais de 12 produtos. Por um motivo bem simples: vende, funciona, gera lucro.

Você não precisa ter um produtão com milhares de alunos. Isso só vai te dar dor de cabeça. Gastos com suporte, comunidades e ferramentas que você não precisa ter agora. É bem mais fácil ajudar 14 pessoas do que 140. 

É bem mais fácil fazer com que 14 pessoas tenham resultados com seu produto, do que ter 140 que você nem sabe o nome delas…

No começo, é mais fácil e mais lucrativo pensar pequeno. Talvez você esteja achando estranho isso que eu estou dizendo, mas aprenda que começar pequeno é mais sustentável e vai te ajudar a entender o que seus clientes realmente querem.

Quanto mais concorrentes o seu mercado tiver, mais são as chances de existirem oportunidades de criação de produtos digitais. Eles não conseguem atender todo mundo e como muitos buscam mais a quantidade do que a qualidade, acabam deixando brechas para criação de produtos mais avançados ou complementares.

A Estratégia Milionária que a Apple, Google e Milhares de Empresas do Vale do Silício usam e que os empreendedores digitais brasileiros ignoram…

Cheguei empolgado em casa e contei para minha esposa sobre as 174 pessoas inscritas… Ela me olhou surpresa e disse: “Que bacana… E rápido né? Mas, você já tem o curso gravado?”

Eu bem feliz disse bem alto: “Não. E não tem problema nisso…”. Ela me olhou espantada: “Mas Chico, vai vender algo que não tem pronto… Isso vai dar problema.”

Lean Startup. Grave essa simples palavrinha, meu amigo. Talvez você conheça este conceito, talvez não. Mas naquele ano eu havia lido o livro “A Startup Enxuta” do escritor Eric Ries. 

Neste livro ele mostra como grandes empresas nos vendem produtos e serviços apenas com a ideia e como fazem milhões por ano desta forma. Veja esta matéria…

“Os caras venderam 250 mil unidades de um carro que nem existe…”

Esse é um conceito muito simples e que você pode começar a usar hoje mesmo. O Lean Startup é uma maneira de validar suas ideias de produtos antes mesmo de criar o produto. E eu não estou falando de pesquisas ou algo do tipo…

Esses dias uma empresária estava me contando sobre um novo produto que ela estava criando. Ela me disse que havia perguntado no Instagram se as pessoas comprariam um curso que ela iria criar. Ela estava empolgada, afinal, milhares de pessoas disseram que comprariam.

Mas aconteceu o que eu já previa. Ela me contou que quase ninguém comprou e que estava frustrada porque havia dedicado horas e horas na gravação do curso e mesmo assim ninguém se interessou. 

Dizer que vai comprar é uma coisa. Comprar de verdade é outra. Cuidado com pesquisas.

Naturalmente essa empresária colocou a culpa nas pessoas, dizendo que seus seguidores não entenderam como o produto era tão bom. O que ela não sabia é que a intenção de compra não determina realmente que a venda vai acontecer. 

Por isso até hoje eu uso este mesmo sistema que utilizei em 2014: primeiro eu vendo a ideia do produto novo, depois eu crio e entrego.

Quinta-feira – 19h30: lá estava eu, no quarto de casa com meu velho notebook ligado e uma webcam bem zuadinha por sinal. 

Estava ansioso para começar a explicar para as pessoas o que eu havia criado e como iria ajudá-las. 19h31 elas começaram a aparecer. Primeiro 5, depois 15 e quando vi tinham 72 pessoas online para me ouvir.

Comecei a explicar alguns passos que elas deveriam seguir para entender sobre mídias sociais e, principalmente, conseguir um emprego em uma agência. Não segui roteiros, na época eu não sabia nada disso que sei hoje. Apenas ajudei. No final de 45 minutos de conversa eu disse que havia criado um curso online que poderia ajudá-las.

Expliquei que o curso não estava pronto e que iria entregar tudo em 4 encontros online ao vivo. Daquele mesmo jeito. Ali mesmo enviei pelo chat um link de pagamento do Pagseguro, tirei mais algumas dúvidas de quem estava online e finalizamos o encontro as 20h30.

Quando fui olhar meu e-mail, lá estava: 14 vendas de R$ 300,00. Naquela noite, depois de 1 hora de encontro ao vivo eu havia feito mais dinheiro do que estava recebendo na agência onde era sócio.

A partir daquele dia tudo estava fazendo sentindo. Eu tive ainda mais certeza do que eu queria. Se eu conseguisse criar um produto digital que me gerasse um lucro extra mensal na minha conta bancária, eu conseguiria ter uma nova fonte de renda. 

Estava diversificando meus ganhos e não dependendo apenas da empresa.

Então eu aprendi uma lição muito importante naquela semana: você não precisa criar um produto digital para viver dele ou criar um para gerar milhões. Comece simplesmente pensando em criar uma renda extra, um “novo salário”.

Se você é empregado, tem carteira assinada e ganha R$ 5.000,00 por mês, sua meta deveria ser criar um produto digital que pudesse lhe gerar uns R$ 3.000,00 a mais por mês. Naturalmente, com o passar do tempo e com mais ações você pode conseguir ter um produto, ou até mais, gerando os mesmo R$ 5 mil reais do seu salário. Pode até duplicar isso.

Você iria experimentar ganhar R$3.000 de uma maneira diferente. O esforço e o investimento para fazer R$3.000,00 é completamente diferente do esforço e investimento para fazer R$100.000. 

Com base nisso a pergunta que você precisa fazer é: você precisa mesmo ganhar R$ 100 Mil na próxima semana? Precisa ser agora mesmo?

Ou você pode ir naturalmente ganhando um pouco mais? Ir crescendo e construindo algo sustentável?

Eu não gosto de ficar abrindo os ganhos da minha empresa publicamente. Faço isso apenas no meu Grupo de Mentoria para mostrar nossas campanhas de vendas. Mas vou te contar o que aconteceu depois daquela semana em números: hoje são mais de 14 mil alunos. 

Aquele primeiro produto não existe mais, mas todos os outros juntos já se tornaram milhares de reais vendidos e muitos 6 dígitos, ou seja, o tão sonhado R$ 100 mil reais…

Mas essa lição está valendo até hoje: eu crio produtos digitais para ter mais fontes de renda e não fico tentando criar um produto de milhões de reais em vendas.

Você consegue esperar 6 meses ou até 12 meses para ganhar R$ 50 mil ou R$ 100 Mil?

“Ganhei R$ 17 Mil em um dia e fui comemorar… (Eu achei que esse cara do meio era o Salgadinho do Grupo de Samba Katinguelê. Era um sósia.)”

Se você consegue esperar e não precisa desesperadamente criar e vender um produto digital, a minha conversa nesta lição é com você. Agora, se você leu até aqui tentando encontrar uma “fórmula mágica”, pode fechar essa página. Isso não existe.

Quando você pensa em criar um produto digital para ter uma renda a mais, um “segundo salário” de R$ 3.000,00, R$ 5.000,00 ou R$ 10.000,00 por mês, tudo fica muito mais fácil. Começando pelo produto que você vai vender.

Você pode esquecer tudo aquilo que os outros produtores fazem. Não precisa criar milhares de bônus, nem fazer parcerias com ninguém. Não precisa ficar dando descontos ou fazer promoções. 

Não precisa de grandes investimentos em anúncios e nem de muitas pessoas na sua lista de e-mails. Tudo fica extremamente simples.

E aqui vai o grande segredo desta lição. Preste atenção e anote isso: quando você cria um produto para gerar uma renda extra, um “segundo salário, e vende para poucas pessoas você tem nas mãos a possibilidade de entregar uma experiência diferente. 

Com poucas pessoas você pode criar algo mais personalizado, entender os problemas e dúvidas de cada uma delas e obter muitos casos de sucesso.

Quando vendi o meu primeiro produto, o Social Media na Prática, eu fechei uma turma com 14 pessoas. Então eu criei 4 aulas que foram entregues ao vivo através de 4 encontros online. 

Como eram apenas 14 pessoas eu ajudei cada uma delas a criarem seus perfis nas redes sociais de forma mais profissional e até a montar um currículo que foi atrativo para donos de agências. 2 meses depois 5 pessoas tinham conseguido seu primeiro emprego.

Aquele lucro extra de R$ 4.200,00 me fez perceber um novo mercado que eu não estava olhando: Os Negócios Digitais e os Infoprodutos. Rapidamente eu comecei a planejar como iria criar mais produtos e criar algo que pudesse se tornar minha principal receita.

Alguns meses depois eu decidi começar um novo produto. Usei a mesma estratégia e dessa vez fizemos R$ 98.000,00 em vendas. Aquela foto lá em cima com o “salgadinho” demonstra minha felicidade de em apenas 24 horas ter ganho R$ 17 mil reais. Mas como eu fiz isso será algo que eu vou te contar nas próximas lições…

O que eu quero que você entenda é que…

Eu não estou falando sobre Milhões de Reais em vendas. Eu não estou falando em criar um Produtão Digital com Dezenas de Aulas e Milhares de Bônus. Eu não estou falando que você precisa de 5 Mil Alunos. Eu estou literalmente falando de algo simples de ser feito.

Entenda algo muito importante: as pessoas querem o resumo. Elas não precisam assistir 75 aulas para entender o que precisam fazer. Em alguns casos, uma ou duas aulas já irão gerar resultados para seus clientes. 

Acredite, eu tenho clientes no meu Grupo de Mentoria que apareceram em duas reuniões, mas geraram milhares de vendas com o que aprenderam naqueles encontros.

Você não precisa de um SUPER MEGA BLASTER FODA PRODUTÃO. Se você entender apenas esta lição, em poucos dias você será capaz de criar seu primeiro produto, ou pelo menos a ideia dele. 

É muito provável que você não irá faturar milhões, mas pode fazer como eu fiz em 2014 e colocar um “segundo salário” no seu bolso talvez nos próximos 15 dias ou até ter essa renda extra pelos próximos 5 ou 10 anos. 

Quem sabe até mais… Só pare de perde tempo perseguindo algo desnecessário neste momento e apenas comece.

Vamos fazer um breve resumo do que falamos até agora:

  1. Veja produtos digitais como uma nova fonte de renda, um “segundo salário”.
  2. Coloque um objetivo tangível e foque em ter seus primeiros 10 a 20 clientes.
  3. Crie algo simples. As pessoas querem o resumo e uma solução rápida.
  4. Use brechas que os concorrentes deixam no mercado. 
  5. Planeje algo que você possa entregar de uma maneira diferente.
  6. Um “segundo salário” é melhor do que não vender nada e ficar frustrado.
  7. Tenha calma e paciência. Com o tempo as vendas irão aumentar e isso poderá virar seu principal negócio.


Nas próximas lições eu vou te mostrar como planejar e desenhar a sua ideia de produto digital
e qual a melhor estratégia para definir o formato, a entrega, preço e tudo que vai gerar resultados para seus clientes. Lembre-se: as pessoas compram produtos que entendem e que gera valor, ou seja, resultados.

Antes de finalizar essa lição, deixa eu te falar em quanto tempo você consegue gerar resultados. Você percebeu que meu primeiro produto eu vendi em uma semana. Da ideia até as vendas foram 4 dias exatamente. Isso acontece sempre? Não. Mas hoje em dia é muito mais fácil criar produtos digitais. 

Então uma campanha de vendas pode ser feita em uma semana ou, dependendo do seu tempo, em 15 dias facilmente…

O mesmo sistema que eu usei em 2014 para começar a vender produtos digitais, uso até hoje. Mas é claro que depois de fazer isso tantas vezes eu aperfeiçoei o método, criei templates, roteiros e formas de gerar as vendas em muito menos tempo e com mais segurança. 

Mas o segredo aqui não é sobre criar produtos rápidos, mas entender como fazer isso de maneira segura e sem correr riscos desnecessários…

Falaremos mais sobre isso nas próximas lições…

Te mais uma coisa: se você me acompanha há bastante tempo deve ter percebido que eu parei de produzir muito conteúdo gratuito como fazia antigamente. Isso é estratégico. Todo conteúdo que eu vou criar, primeiro penso se eu não deveria vender aquela solução.

Para lhe dar um exemplo, eu estava escrevendo um artigo sobre Nichos de Mercados Lucrativos. Iria publicar de graça em nosso blog, mas usando o mesmo conceito que vou te ensinar na Lição #3 decidimos criar um novo e-book com este material e vender. 

Exatamente hoje completa uma semana de vendas e já passou de 230 vendas. 

Então, depois de ler a lição #3 eu tenho certeza que você vai pensar duas vezes antes de ficar dedicando seu tempo em criar conteúdos gratuitos. É importante entender que eu não estou dizendo que não precisa criar conteúdos gratuitos, mas isso não deve ser sua prioridade. 

Enquanto você dedica horas criando um vídeo ou artigo gratuito, pode criar um novo produto digital. Um “segundo ou até terceiro salário”.

Lembre-se: você não precisa de um produto de R$ 100 mil reais agora.

DEIXE SEU COMENTÁRIO
VOCÊ ACREDITA QUE ESSA LIÇÃO PODE TE AJUDAR A COMEÇAR SEU PRIMEIRO PRODUTO DIGITAL LUCRATIVO?

Chico Montenegro é empreendedor, palestrante e treinador de pessoas…

Descobriu logo cedo que nasceu para ativar a autenticidade e a missão das pessoas que se conectam a ele. Chico é um cara normal, de uma família humilde do interior da Paraíba, mas que descobriu no poder das habilidades mentais estratégias de sucesso e de alta performance que irão destravar sua vida.

Criou projetos digitais que já atingiram mais de 14 mil alunos e clientes, já impactou com sua mensagem mais de 1 milhão de pessoas através de vídeos, podcasts e palestras. Chico acredita que o resultado de uma pessoa é determinado pelas suas decisões, pela sua fé, determinação e pelas suas conexões. 

Casado com Tatiana e pai da Helena, tem um desejo árduo de transmitir conhecimento, sabedoria e transformação para as pessoas que não aguentam viver vidas medianas.

“Você não cria coisas de sucesso, você se cria para ter sucesso…” 

Copyright 2015/2019 – direitos reservados / criado e mantido por Chico Montenegro
Disclaimer: Este site de nenhuma maneira é afiliado do Facebook ou qualquer entidades ou empresa do Facebook. Nós não vendemos seu e-mail ou qualquer informação. Não enviamos spam.
Facebook
Twitter
LinkedIn